Transtornos Mentais e Cognitivos a nova tendência dos K-dramas

Era uma vez (na verdade, não há muito tempo), os doramas abordavam todos os tipos de temas sobre as coisas sobrenaturais. Havia
estrangeiros (“My Love from the
Stars”)
, a viagem no tempo (“Dr.
Jin”
, “Rooftop Primce”),
sereias (“Surplus Princesa”),
troca de corpos (Secret Garden) e
outros temas serviam de enredo para os doramas. Recentemente, a
tendência mudou para o seguinte tema: Transtornos mentais e cognitivos reais.

É um pouco confuso? Acho que estes exemplos vão
esclarecer esta recente tendência dos doramas.
“Good
Doctor”: Síndrome de Savant



Síndrome de Savant descreve alguém que tem
deficiência mental ou física, mas exibe uma incrível habilidade ou domínio
específico. Em “Good Doctor”,
Joo Won retrata um médico que
claramente tem deficiência sociais, mas é um médico absolutamente brilhante.
Sua síndrome de savant é o núcleo da trama e Joo Won executa de forma brilhante.

Condizente com uma história onde a personagem feminina
principal é um psiquiatra o drama “It’s Okay, That’s Love” está cheio de pessoas que sofrem de transtornos mentais.

Genophobia


A lista não estaria completa sem o psiquiatra com um trauma
do passado. Até que o personagem de Jo
In Sung
entra na historia, o personagem de Gong Hyo Jin tinha sido severamente traumatizada pelo caso que sua
mãe teve no passado, ela não conseguia dormir com um homem, não importava o quanto ela o amasse. Genophobia, é o medo irracional de
sexo, tem muitas causas conhecidas e trauma de infância é um deles.
Para mais informações, clique aqui.
Síndrome
de Tourette



O personagem vivido por Lee Kwang Soo sofre de uma desordem cognitiva chamada síndrome
de
Tourette que é caracterizada pela existência de movimentos motores
ou vocais tiques, ou ruídos indesejados que a pessoa não tem controle. Em “It’s Okay, That’s Love”, o
personagem de Lee Kwang Soo aprende
a parar de odiar a si mesmo por seu transtorno e cresce ao amar a si mesmo com
a ajuda das pessoas ao seu redor.
Esquizofrenia


Jo In Sung brilhantemente retrata um escritor que sofre de esquizofrenia
induzida por trauma de infância. Seus sintomas incluem obsessões e
compulsões, bem como auditivo completo acompanhado de alucinações visuais. Esquizofrenia
vem com muitos sintomas e formas.
“Kill
Me, Heal Me”: transtorno dissociativo de identidade



Transtorno
dissociativo de identidade
(anteriormente chamado de distúrbio de
personalidade múltipla) é um transtorno mental extremamente raro, mas
legitimamente documentado. Muitos aspectos deste transtorno ainda são incertas
e misteriosos, mas os conceitos básicos do transtorno são como o nome descreve.
Uma pessoa que possui personalidades distintas em seu próprio corpo. As
especificidades desses sintomas variam incrivelmente, o que torna o transtorno
mental perfeito para um drama emocionante.
Ji
Sung

retrata a desordem com um personagem que possui sete personalidades, em “Kill Me, Heal Me”. O personagem
de Ji Sung tem a formação de novas
personalidades como mecanismo de defesa de um evento traumático, embora essa
ideia não seja apoiada pela investigação da teoria da causa de transtorno
dissociativo de identidade
.
(E sim, Hyun Bin,
também da vida a um personagem com a mesma doença no drama “Jekyll Hyde, Me”).
“The Girl Who Sees Smell”

Dois distúrbios cognitivos que são raros e extremamente
interessantes ficam fantástico para um pano de fundo de um drama caracterizar
os dois personagens principais de “The
Girl Who Sees Smell”
.
Synesthesia



A Synesthesia é um distúrbio cognitivo
raro que, essencialmente, mistura os diferentes sentidos juntos em alguma
combinação. O título do drama descreve diretamente uma maneira possível de como
a Synesthesia
é apresenta nas pessoas. Shin Se Kyung interpreta uma garota que
ganha à habilidade de “ver” cheiro por causa de uma experiência traumática
na infância. A mudança de cor do olho é uma reviravolta dramática, mas há
pessoas na vida real que vê essas cores e formas de cada um cheiro específico. 
Analgesia
congênita



O personagem masculino, interpretado por Park Yoo Chun, também ganha uma doença
rara desde a morte traumática de sua irmã mais nova. Analgesia congênita é a
incapacidade de sentir dor física. O personagem de Park Yoo Chun também parece ser resistente para a dor emocional um
resultado direto da causa de sua doença. Eu nunca ouvi falar de um trauma
causado pela analgesia congênita, mas ParkYoo
Chun
faz um ótimo trabalho.
 Os dramas
começaram a ir de câncer e deficiência, para as parcelas fantásticas e
místicas, para uma nova tendência de transtornos mentais e cognitivos raros,
mas reais. Ela permite a linhas de enredo emocionante, dramático adora
histórias e temas de cura e dificuldades de superação. Enquanto a representação
desses distúrbios é toda uma discussão em separado  (ou seja, a
conscientização sobre a doença vs. falsa representação da doença), os dramas
estão utilizando esses transtornos ainda reais e raras para o entretenimento.
Então, o que você acha dessa nova tendência nos doramas?
Deixe-nos saber nos comentários abaixo!

Fonte:
Soompi

Deixe aqui sua opinião sobre