Chineses organizam festival que incentiva o consumo de carne de cachorros e geram revolta na internet

1
48
Cão espera para ser vendido em mercado popular de Yulin, na China (Foto: Humane Society International/ AP)
Cão espera para ser vendido
em mercado popular de Yulin, na China (Foto: Humane Society International/ AP)
Apesar da luta constante de algumas organizações que atuam em prol dos direitos dos animais, a pratica do consumo da carne de cachorro ainda pode ser vista em algumas regiões da Ásia.
Nesse fim de semana um festival na China que incentiva o consumo de carne de cachorros acabou ganhando espaço nas mídias sociais e de telecomunicações, o evento acontece em Yulin para tal estimava-se a morte de 10 mil cachorros, assim muitos internautas e organizações protetoras de animais se mobilizaram pedindo o cancelamento da celebração.
A hashtag #stopyulin2015 (parem Yulin 2015) circulou com bastante força na internet. Cerca de um milhão de pessoas assinaram um abaixo-assinado no site Change.org pedindo que o festival fosse cancelado.
Mas apesar de toda essa mobilização o evento ocorreu normalmente no sábado, o que levou alguns ativistas a praticarem ações individuais para tentar salvar alguns cães, ainda segundo a agência de notícias AFP uma chinesa chegou a gatar cerca U$$ 1.000 o que equivale a aproximadamente R$ 3. Mil, para comprar 100 cachorros para impedir que eles fossem para o festival.
Esse festival de Yulin é algo que vem desde os anos 90, seu principal objetivo é comemorar o solstício de verão, o dia mais longo do ano. Os ativistas argumentam que o festival traz como consequência o aumento de roubo de cães domésticos, as condições onde se criam os cachorros para serem sacrificados são péssimas, eles também alertam que o consumo de carne de cachorro pode ser prejudicial para a saúde.
Foto: Divulgação/AFP
Foto: Divulgação/AFP
Segundo Zhou Yusong, da Associação de  Proteção de Pequenos Cães da China (CSAPA,
na sigla em inglês), uma das organizações que lideram os protestos para jornal Global Times, “matar cachorros por sua carne é algo cruel e além disso é um risco para quem ingere, já que muitos dos animais utilizados podem estar doentes”.
O consumo de carne de cachorro não é considerado uma pratica ilegal, mas vem dividindo o país, algumas pessoas se mostram contra enquanto outras argumentam que é preciso respeitar as tradições da província de Guangxi.
Ainda segundo Sam Geall editor do Blog China Dialogue em entrevista para o jornal BBC “o consumo de carne de cachorro aumentou nos últimos 30 anos, à medida que o país enriqueceu, mas não é fácil encontrar esse tipo de carne. Viajo pela China há 15 anos e nunca me ofereceram carne de cachorro, festivais como de Yulin são celebrados para atrair turistas, e não por seu caráter tradicional”.tumblr_n8wc59QbBP1sh8uxlo1_500
 
No Twitter, a modelo Gisele Bündchen também pede socorro para esses animais e incentiva as pessoas a assinaram a petição: Help #StopYuLin2015. Please sign https://t.co/ul6QLsU0

1 COMMENT

Deixe aqui sua opinião sobre