Seungri se torna oficialmente um suspeito das acusações de agenciamento de serviço de prostituição

Seungri se torna oficialmente um suspeito das acusações de agenciamento de serviço de prostituição

Seungri foi acusado de violar a lei sobre a punição da mediação da prostituição e outras ações relacionadas. Ele agora será tratado como suspeito em futuras investigações.

Uma fonte da polícia afirmou: “Nós registramos Seungri e mudamos seu status para o de um suspeito, a fim de emitir um mandado de busca e apreensão e limpar [Seungri] das suspeitas [que o cercam]”.

A polícia também registrou de três a quatro outras pessoas que estavam no bate-papo do grupo KakaoTalk e atualmente as estão investigando.

Enquanto isso, a polícia começou a procurar pelo Club Arena às 11 horas da manhã do dia 10 de março e terminou a busca às duas da tarde. Foi relatado que eles obtiveram dados relacionados com as acusações feitas a Seungri sobre a prestação de serviços de acompanhantes sexuais a investidores estrangeiros, mas nenhum detalhe adicional foi revelado.

ARTIGO ORIGINAL:

A polícia emitiu um mandado de busca para buscar no Club Arena evidências sobre as alegações de que Seungri, do BIGBANG, estava envolvido no fornecimento de serviços de prostituição para investidores estrangeiros.

No dia 10 de março, às 11h da manhã, cerca de 20 policiais da agência metropolitana de Polícia de Seul começaram a buscar provas no Club Arena. Nenhuma informação adicional sobre o processo tinha sido divulgada ainda.

Em 26 de fevereiro, o funE da SBS divulgou mensagens de texto supostamente compartilhadas entre Seungri, CEO Yoo da Yuri Holdings e um funcionário em 2015. O conteúdo das mensagens implicava que eles estavam contratando prostitutas no Club Arena (um clube localizado no Gangnam para investidores estrangeiros, e tanto a YG como a Yuri Holdings negaram as reivindicações em declarações separadas. Um dia depois, Seungri foi interrogado na delegacia de polícia e compartilhou sua disposição de cooperar com qualquer outro questionamento.

Fonte: (1)

Deixe aqui sua opinião sobre