Seungri responde às acusações de pagar por acompanhantes em sua festa de aniversário

Seungri responde às acusações de pagar por acompanhantes em sua festa de aniversário

Em 15 de abril, a polícia realizou uma coletiva de imprensa para revelar o andamento de suas investigações sobre as suspeitas de mediação da prostituição em torno de Seungri.

Eles afirmaram: “Estamos investigando duas pessoas que foram a Palawan com Seungri e verificaram as despesas examinando suas contas bancárias. Descobrimos quanto [Seungri pagou pelas despesas de viagem das mulheres], e devemos investigar mais para descobrir a origem do dinheiro”.

Uma fonte do lado de Seungri admitiu que convidou acompanhantes para sua festa de aniversário em Palawan, mas negou que o dinheiro tenha sido trocado por favores sexuais. A fonte afirmou: “Transferir dinheiro para um estabelecimento de entretenimento para adultos não significa que atos sexuais sejam esperados em troca. Se o dinheiro fosse enviado com expectativas de receber favores sexuais em troca, deveríamos ter conseguido o dinheiro de volta de acompanhantes do sexo feminino que não se envolveram em atos sexuais na festa”. Eles enfatizaram que o dinheiro foi transferido apenas para cobrir suas despesas de viagem.

ENTENDA O CASO

A polícia encontrou evidências de que Seungri pagou uma quantia que excede as despesas de viagem para acompanhantes profissionais do sexo feminino que participam de sua festa de aniversário em Palawan, Filipinas.

Em 14 de abril, a Divisão de Detetives Especiais Provinciais da Agência de Polícia Metropolitana de Seul garantiu registros de transações financeiras indicando que Seungri transferiu uma quantia que excede as despesas de viagem regulares para as escoltas.

A festa de aniversário em questão foi realizada em dezembro de 2017 e contou com a presença de amigos de Seungri e investidores estrangeiros. Foi relatado que oito acompanhantes profissionais do sexo feminino também foram convidadas.

Em 14 de abril, algumas das mulheres que compareceram à festa declararam à polícia que haviam entrado voluntariamente em atos sexuais com homens na festa e não foram instruídas a fazê-lo por Seungri ou qualquer outra pessoa. Quando as suspeitas foram levantadas sobre Seungri pagar suas despesas de viagem, Seungri afirmou que ele pagou por todos os participantes e não apenas pelas mulheres suspeitas de estarem envolvidas na prostituição.

No entanto, a polícia suspeita que este era um caso de mediação de prostituição, já que as mulheres não eram amigas de Seungri. Além disso, as acompanhantes receberam uma quantia maior do que as despesas de viagem, o que significa que o montante adicional pode ter sido dado em troca de prostituição.

Uma fonte da polícia declarou: “Estamos abertos a todas as possibilidades, incluindo a solicitação de um mandado de prisão preventiva”. Um mandado de prisão preventiva permite ao promotor o direito de colocar suspeitos ou réus em detenção.

Enquanto isso, a polícia também está investigando acusações adicionais de Seungri oferecendo serviços de prostituição para um investidor japonês em visita à Coréia.

Fonte: (1)

Deixe aqui sua opinião sobre