(Português do Brasil) Tribunal de Justiça nega pedidos de mandado de prisão preventiva para Seungri e Yoo In Suk

Tribunal de Justiça nega pedidos de mandado de prisão preventiva para Seungri e Yoo In Suk

Você pode me seguir no Tiktok por aqui

Followers

Seguir

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

O tribunal negou os pedidos de mandados de prisão preventiva para Seungri e Yoo In Suk ex-CEO da Yuri Holdings. Yoo In Suk trabalhou com Seungri em vários negócios, incluindo o clube Burning Sun, e ele também é descrito como uma figura influente nas controversas do chat em grupo.

Em 14 de maio, Seungri e Yoo In Suk participaram de interrogatórios para determinar a validade dos pedidos da polícia para seus mandados de prisão pré-julgamento. Estes mandados permitem que um suspeito seja detido por mais de 48 horas.

As suspeitas listadas nas solicitações incluíam a mediação de serviços de prostituição, peculato sob a Lei sobre a Punição Agravada, etc. de Crimes Econômicos Específicos, e violação da Lei de Saneamento de Alimentos. O pedido de mandado de Seungri também incluiu suspeitas de compra de serviços de prostituição.

Naquela noite, o juiz Shin Jong Yeol, do Tribunal Distrital Central de Seul, anunciou a demissão dos mandados de detenção pré-julgamento solicitados.

Em relação ao caso de Seungri, ele explicou: “Há espaço para disputas em relação à principal suspeita, que é apropriação indébita. Também é difícil reconhecer uma razão para a detenção, como a potencial destruição de provas, em relação às suspeitas restantes”.

Anteriormente, mandados de detenção pré-julgamento foram emitidos para Jung Joon Young e Choi Jong Hoon, que também eram membros do chat em grupo. O mandado de Jung Joon Young dizia respeito à filmagem e compartilhamento de vídeos de câmera escondida, enquanto o mandado de Choi Jong Hoon estava relacionado a suspeitas de estupro agravado.

Fonte: (1)

Deixe aqui sua opinião sobre